Google+ Followers

domingo, 16 de março de 2014

Coreto reconstruído no bairro de Marechal Hermes

Fundado em 1° de maio de 1913, o bairro de Marechal Hermes foi o terceiro bairro operário planejado do Brasil. 
A ocupação no bairro de Marechal Hermes, no Rio de Janeiro, pode ser considerada a primeira intervenção na questão da habitação no Brasil, porque foi planejada para os operários das fábricas. A “vila proletária” foi idealizada pelo então presidente da República, o marechal Hermes da Fonseca, para atender a uma carência de moradia popular, principalmente para aqueles que foram desalojados do Morro do Castelo. Projetada pelo engenheiro e tenente Palmyro Serra Pulcherio, a vila contava com um bulevar, que tinha uma praça no centro e a ligava à Estrada de Ferro Central do Brasil. 


A Vila Proletária Marechal Hermes foi inaugurada pelo presidente em 1º de maio de 1913, apesar de não estar concluída. A construção das moradias populares só foi finalizada duas décadas mais tarde, nos anos 1930, durante o governo de Getúlio Vargas, após a autorização da transferência da posse dos imóveis para o Instituto de Previdência dos Funcionários Públicos da União (IPFPU).


Para o novo planejamento de ocupação, foi proposto um concurso direcionado a arquitetos, no sentido de elaborar um novo plano de ação para o abandonado projeto habitacional de Hermes da Fonseca. No novo projeto da vila operária deveriam constar: um plano geral de urbanização; loteamento para 300 casas econômicas; um mercado; um campo de esporte; parque de diversões; cooperativa de consumo; delegacia de polícia; localização de terreno para maternidade; ratificação do arroio Tinguá e posto de gasolina. Foi convocado um júri para a análise das propostas, composto por Atílio Gomes, Saturnino de Brito (engenheiro), Celso Kelly (presidente dos Artistas Brasileiros) e Affonso Eduardo Reidy (arquiteto). Apresentaram-se dois grupos de arquitetos, cujos projetos acabaram sendo, em 19 de setembro de 1933, recusados pela comissão.

Seguiu-se, então, o projeto original do bairro, apenas modernizado com a construção de blocos de apartamentos. A ocupação aconteceu até a década de 1950, quando foi incluída infraestrutura de lazer, saúde e educação, como o teatro Armando Gonzaga (com projeto arquitetônico de Affonso Eduardo Reidy), o hospital Carlos Chagas, a escola Jose Acioli e a maternidade Alexander Fleming.

O teatro foi inaugurado em 1954. No mesmo, ano, provavelmente, deu-se também a inauguração do coreto da Praça XV de Novembro, localizada no centro do bulevar projetado por Pulcherio em 1913.

 foto de 1994

 foto de 1957

Em 1998, o bairro de Marechal Hermes foi contemplado com o projeto Rio Cidade. Após concurso público realizado pelo setor fluminense do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB/RJ), o vencedor foi o escritório L.A. Rangel e C. Cavalcanti, que, sob coordenação do Instituto Pereira Passos e da Secretaria Municipal de Urbanismo, desenvolveu o projeto.




A obra de implantação do projeto foi iniciada em 2003. Entre as alterações previstas, estava a criação de uma rótula central no eixo da Rua Engenheiro Emílio Baumgart e a retirada do antigo coreto para instalação de outro, em estilo contemporâneo, além da retirada do busto do marechal Hermes, que estava instalado na Praça Montese, a praça de entrada do bairro.

  1994

 As informações que obtive na época foi que a demolição do coreto ocorreu em uma noite, gerando inúmeros protestos dos moradores do bairro, que tinham por aquele equipamento uma grande afetividade, pela sua história, como uma referência do bairro. O busto do marechal Hermes foi retirado e guardado no depósito da prefeitura, permanecendo vazio o seu local original.



Após inúmeras solicitações dos moradores pelo retorno de seu patrono, o busto foi reinaugurado no dia 14 de junho de 2011, com a presença dos netos e bisnetos do marechal.



O retorno do patrono reacendeu entre os moradores a saudade do antigo coreto, que abrigava as festas do bairro. No festejo do centenário do bairro, comemorado no dia 1º de maio de 2013, tal ausência foi especialmente sentida, na Praça XV de Novembro.

Assim, dez anos após a demolição do coreto original, ele foi reconstruído e inaugurado no dia 15 de novembro de 2013, numa demonstração de valorização do patrimônio do bairro para os moradores da região.




                      




A construção veja o video: http://youtu.be/sTa8Ra-kbOQ