Google+ Followers

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Curumim - O indiozinho da Lagoa Rodrigo de Freitas



Inicialmente habitada pelos índios Tamoios, que a denominavam Piraguá (“água parada”) ou Sacopenapan (“caminho dos socós”), a Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro, foi logo pretendida pelos colonizadores portugueses para a instalação de um engenho de açúcar, entre 1575 e 1578. Conta-se que o governo de Antônio Salema se utilizou de um método traiçoeiro para exterminar os índios da região: roupas usadas por doentes de varíola foram espalhadas pelas margens. Inocentes, os índios foram contaminados e exterminados. Após esse grande massacre, foi construído no local o Engenho D'El Rei, onde hoje funciona o Centro de Recepção aos Visitantes do Jardim Botânico. Para lembrar essa triste história, foi instalada na Lagoa, em 1979, a escultura de um indiozinho, chamada de Curumim por seu criador, o artista plástico Pedro Correia de Araujo.


Em 2005, a escultura foi vítima de vandalismo pela primeira vez, após 14 anos de exposição pública à margem da Lagoa – seu arco foi furtado. Curiosamente, muitos acreditavam que a escultura estava incompleta há muito mais tempo, devido à ausência de flecha na composição. A prefeitura instalou um novo arco em 2006.



Meses depois, já em 2007, o arco foi furtado novamente. E como ele estava soldado e aparafusado, saiu dividido. Em seguida, em 2008, uma das mãos da escultura foi quebrada por um vândalo, deixando o Curumim mutilado.




Finalmente, em 2011, após muitos contatos com o autor do Curumim, foram refeitas a mão e o arco da estátua. Contudo, havia a preocupação de que outros danos poderiam ocorrer, por ser uma peça esbelta. Pedro Correia de Araujo afirmava: “Quando o Indiozinho foi instalado aqui na Lagoa, a pedra ficava dentro d’água, o que impedia o vandalismo. Com o passar dos anos, o assoreamento aconteceu e qualquer um passou a ter acesso à pedra, podendo chegar ao Curumim para danificá-lo. Agora a escultura está em outra pedra dentro da água, o que a protege e reproduz a situação original.”



Veja o video: http://vimeo.com/28787999





Caso alguma foto aqui inserida esteja em desacordo com os direitos de propriedade, sem a fonte e/ou legenda, por favor, envie correção para veradias2009@hotmail.com, ou se for o caso solicite a retirada.