Google+ Followers

terça-feira, 12 de outubro de 2010

O chafariz da Praça das Nações e a estátua desaparecida

Na história dos monumentos do Rio de Janeiro, o mistério do desaparecimento de obras públicas sempre intrigou os cariocas. Mais uma vez, em pleno século XXI, com inúmeros recursos de imagem, com a divulgação do cadastro das obras e com a difusão da cidade como um museu a céu aberto, ocorre o desaparecimento de uma escultura.

A Mulher da Luz, figura principal de um chafariz na Praça das Nações, no bairro de Bonsucesso, sumiu no último dia 8.

Esse chafariz, talvez o primeiro em ferro fundido a ser executado no Brasil, teve sua fundição artística feita pela Companhia Nacional de Fundição, em 1908. A peça foi criada para a Exposição Nacional, promovida pelo Governo Federal para comemorar o centenário da Abertura dos Portos.

A exposição tinha por objetivo a apresentação dos bens naturais e dos produtos manufaturados brasileiros, oriundos de diversos estados da federação. O chafariz, de certa forma, representava a competição entre uma fundição nacional e as famosas fundições do Val D’Osne.

Tal obra é, provavelmente, um dos últimos exemplares daquela exposição.

Não se tem muito mais informação sobre esse monumento, mas sabe-se que ele foi transferido para o Largo do Maracanã, talvez para contrapor com o chafariz de ferro francês existente desde 1917 na Praça Barão de Drumond, que na época se chamava Praça 7, no final do Boulevard 28 de setembro.

A informação que se tem é de que o chafariz foi levado para Bonsucesso em 1936, por conta da construção de uma estação elevatória da Cedae no local.

 - 1929 sem o chafariz

Trata-se de um chafariz composto por quatro bacias, com muita decoração de folhas aquáticas, unido por uma coluna onde estão fixados quatro golfinhos (símbolo da cidade) diametralmente opostos.




 

A coluna tem 6 metros de altura e é toda decorada com folhas, que se enrolam em espiral até o capitel. A cerca de 2 metros do piso, outra bacia recebia a água que jorrava de quatro garças. Outro detalhe é o capitel, que imita o estilo coríntio.


Na parte superior do capitel estava a estátua, agora desaparecida. A Mulher da Luz sustentava com o braço direito um globo luminoso. Era uma escultura muito graciosa, com panejamento virtuoso, sendo ela a melhor peça do chafariz. Tinha 1,80m de altura e pesava 250kg.

            

Em 1996, durante a intervenção do projeto de reurbanização Rio Cidade, o monumento foi todo restaurado.


A Mulher da Luz é a mais recente grande perda da cidade do Rio de Janeiro, depredada após 102 anos de exposição pública. Seu desaparecimento causou comoção entre os milhares de moradores, comerciantes e transeuntes dos arredores da Praça das Nações, a ponto de um grupo de cidadãos estarem oferecendo uma recompensa de R$ 3 mil a quem telefonar para o Disque Denúncia (2253-1177) com informações que ajudem na recuperação da escultura.




Em 2012 foi realizada outra restauração no chafariz que podem ser vistos no vídeo : http://www.youtube.com/watch?v=rNdF26BaL-c&list=UUi-xnu-MrwnbKx5TnpKfwSQ&index=6&feature=plcp